Divulgação Awor.

Especialista em otorrinolaringologia dá dicas importantes

Dentre as muitas sequelas da Covid-19, estão a perda do olfato e do paladar. Ocorre que, apesar de ambas serem, a priori, sintomas extremamente comuns da doença, elas podem permanecer em alguns casos mesmo após a cura. Vale ressaltar, inclusive, que algumas pessoas sofrem com essa consequência por longos períodos, o que costuma impactar, e muito, na qualidade de vida destas.

A Dra. Loyane Lisieux Bronzon Vasconcelos, otorrinolaringologista do Grupo Awor Saúde, conta que foram inúmeros os pacientes com esse tipo de problema nos últimos meses. Esse assunto foi, inclusive, constantemente discutido no Congresso da  Fundação de Otorrinolaringologia que acabou de participar em São Paulo.

“De maneira geral, a hiposmia e a anosmia (que são, respectivamente, a perda parcial e a perda total do olfato) são comuns entre pessoas com infecções respiratórias. No entanto, os pacientes com Coronavírus apresentam uma recuperação bem mais lenta, ao contrário do que geralmente acontece em quadros de gripes ou resfriados comuns”, explica.

Dentre as possibilidades de tratamento, a mais utilizada é o treinamento olfativo. Essa técnica visa enviar estímulo às células receptoras localizadas no teto do nariz (neuroepitélio olfatório), embora  o  mecanismo  exato  do treinamento olfativo ainda  não  tenha  sido  descrito,  acredita-se  que  a  estimulação  por odores aumente a capacidade de regeneração e o potencial neuroplástico deste sistema.

Esse estímulo dos sentidos pode ser feito de diferentes maneiras. Uma das opções sugeridas é a manipulação de essências como Eucalipto, Cítrica, Álcool Feniletílico e Eugenol para cheirar duas vezes ao dia, por 10 segundos, e com intervalos de 15 segundos entre eles.

No que diz respeito ao paladar, o tratamento pode ser um pouco mais complexo. Afinal, não se sabe se a perda deste ocorreu devido à destruição dos nervos locais pelo novo coronavírus, ou se as papilas gustativas foram atingidas por este. No entanto, o estímulo também é recomendado, provando e ingerindo alimentos que, por natureza, são mais amargos, azedos, doces e salgados.

De qualquer maneira, a especialista destaca que “é fundamental fazer o acompanhamento com um otorrino, já que cada paciente manifesta a condição de uma forma diferente. O tratamento deve ser feito de acordo com a necessidade e problemas enfrentados pela pessoa. Cada caso é diferente e, por isso, pode demandar outras alternativas”, completa.

De acordo com pesquisas realizadas, a volta dos sentidos ocorre em até seis meses, mas pode variar consideravelmente em cada situação e paciente.

Sobre o grupo Awor Saúde

O grupo Awor Saúde chega à Região Metropolitana de Belo Horizonte para oferecer atendimento e tratamento médico diferenciados. Em um único lugar, os pacientes encontram toda a infraestrutura necessária para consultas e exames, com praticidade, conforto, qualidade e tecnologia de ponta.

Localizadas no Complexo Lifecenter, estão as unidades Awor Oftalmologia, Awor Otorrinolaringologia, Awor Mulher, Awor Longevidade. Neste local, várias especialidades médicas estão disponíveis como: oftalmologia, otorrinolaringologia, mastologia, ginecologia e obstetrícia, geriatria, endocrinologia, cardiologia, nefrologia, gastroenterologia e urologia.

A Awor Saúde conta também com unidades multiespecialidade localizadas nos bairros Barreiro (Belo Horizonte) e Eldorado (Contagem).

 

Call center: (31) 3227-1000 ou (31) 3287-0473

Whatsapp: (31) 98777-2100

Agendamento online:

https://components-legacy.feegow.com/index.php/agendamento-online/client/5523640-AAAW#

Mais informações: aworsaude.com.br


atualizado em 17/11/2021 - 18:13

comentários